20 de abril de 2017

"Nós vemos,
até sopramos estes ares
dos que riem
sem saber
quanto passa-o-tempo
e vamos a deriva
deste mundo
deslocado, petrificado
ao tempo
que tudo exprime
até os risos, morrem
assim como o jogo acaba
termina e finda
uma história
que te limitam viver
ser nunca é um plano
mas silenciar-se
diante dos destroços
é ver, sentir
e enxergar além dos males
que ficaram, em meio
aos enredos
que antes líamos
agora vivemos
e outrora, nos elevamos
em nada ser, mas ter existido."

O elixir da vida

Que frui como fumaça espessa e sem pesar Não faz desvendar nenhum mistério Onde olhos algum vê, sente a alma e morre o corpo E no além d...